Imprimir
Acessos: 2436

caldeira 2.jpg fibria ENDMARTINS tres lagoa

A Fibria, empresa brasileira de base florestal e líder mundial na produção de celulose de eucalipto, consolida nesta segunda-feira (7/2) um importante marco para o Projeto Horizonte 2, com o início da montagem da estrutura metálica da Caldeira de Recuperação, responsável pela queima de biomassa e geração de energia limpa que abastecerá sua nova linha de produção de celulose em Três Lagoas (MS).
“A instalação do primeiro pilar da caldeira é um dos grandes marcos da obra e estamos muito felizes que chegamos nessa etapa. As obras do Projeto Horizonte 2 estão dentro do cronograma e seguimos firmes com a nossa previsão de inaugurar a segunda linha de produção de Três Lagoas no quarto trimestre de 2017”, afirma Marcelo Castelli, presidente da Fibria, que acompanhou a cerimônia.

A produção de celulose na Fibria é baseada em uma matriz energética sustentável. A energia elétrica é gerada a partir da queima de resíduos oriundos do processo, conhecidos como biomassa sólida e líquida, subprodutos da madeira. Esses resíduos são queimados em caldeiras para a geração de vapor que se transforma em energia.

“O início dessa fase é fundamental para a consolidação de um projeto competitivo em que buscamos unir a economia de energia com o melhor aproveitamento de recursos”, afirma o diretor de engenharia do Projeto Horizonte 2, Júlio Cunha. A estrutura de sustentação da caldeira pesa cerca de 9 mil toneladas e será executada pela Andritz, encarregada do fornecimento do pacote de pátio de cavacos, linha de fibras (cozimento, lavagem e branqueamento), máquina de secar, caldeira de recuperação, evaporação, caustificação e forno de cal. As obras também contarão com o apoio das empresas Metacs e P&E.

“Esse é um marco importante que dá início à montagem eletromecânica da caldeira de recuperação. Agradecemos a Fibria e a todas as empresas parceiras pelo empenho e cumprimento do prazo com qualidade. Temos muito ainda pela frente, mas tudo isso nos capacita a ir muito mais longe nesse projeto”, afirma Luis Mario Bordini, diretor-presidente da Andritz Brasil.

Com investimento de R$ 8,7 bilhões (equivalente a cerca de US$ 2,2 bilhões), o projeto de expansão da Fibria vai gerar ao longo das obras 40 mil empregos e, ao final do projeto, 3 mil postos de trabalho diretos e indiretos. A Unidade de Três Lagoas da empresa terá sua capacidade de produção aumentada em 1,75 milhão de toneladas de celulose/ano. Com a ampliação, a unidade da Fibria em Três Lagoas somará capacidade de 3,05 milhões de toneladas de celulose/ano, passando a ser uma das maiores fábricas de produção de celulose de eucalipto no mundo.

 

Fonte: Celulose online